O “cérebro pandémico”

No artigo “O que é o ‘cérebro pandémico’, o fenómeno que afeta quem mais stressa com a pandemia“, pela jornalista Mariana Almeida Nogueira (revista Visão Saúde), o Doutor Ricardo João Teixeira, explica:

Recuperar a sanidade mental

Sem uma linha de chegada ainda à vista, por agora a guerra ao stress deve ser feita em pequenas batalhas, travadas diariamente. Quanto melhor estivermos, maior resiliência física, cerebral e emocional teremos” e deixa algumas ideias para lidar com os stressores pandémicos :

Descansar ao longo do dia: O descanso influencia os mecanismos de gestão do stress, por isso não deve estar reservado apenas ao período da noite. Ao longo do dia, é importante definir breves períodos de descanso. “À hora de almoço, se possível, seria bom comer no exterior. Basta sair, sentar-se no jardim e almoçar”.

Praticar exercício físico: Vários estudos têm demonstrado como, a nível fisiológico, o exercício físico tem a capacidade de desencadear a produção de, entre outras hormonas, serotonina e endorfina, responsáveis por fazer-nos sentir mais felizes e relaxados. Se for realizado ao final do dia, pode interferir com os padrões do sono, devendo, por isso, ser privilegiada a faixa horária da manhã ou a hora do almoço.

Praticar o Mindfulness e a atenção plena: Quando trabalhamos a nossa interioridade temos mais consciência do que está a acontecer dentro do nosso corpo e esta consciência, é útil para tomarmos decisões. “Se nos sentimos muito abalados ou constrangidos, se calhar, teremos de fazer algo em relação a isso, mas, se nem tivermos essa consciência não conseguimos fazer nada”.

Não exagerar com os horários de trabalho: É importante aproveitar o melhor que o verão tem para nos dar, ou seja, as férias. “É importante as pessoas não trabalharem demasiadas horas, respeitarem-se, tentarem adaptar as férias ao contexto que vivemos e aproveitar os dias mais longos e quentes, apesar das adversidades”.