O mindfulness nas empresas: promoção de hábitos corporativos de bem-estar e saúde

Vivemos num mundo frenético. Enquanto dobramos a roupa, mantemos um olho nas crianças e outro na televisão; planeamos o dia enquanto ouvimos rádio ou tomamos banho; a caminho do trabalho planeamos o fim de semana. Na pressa de realizar as tarefas necessárias, podemos facilmente perder a nossa conexão com o momento presente – em relação ao que estamos a fazer ou a sentir. O mindfulness, ou atenção plena, é a prática de focar a nossa atenção, propositadamente, no momento presente, aceitando as coisas tal e qual como são, e sem julgamento.

Apoiadas em investigações científicas, e acumulando bons resultados um pouco por todo o mundo, as abordagens baseadas em mindfulness correspondem a um conjunto de práticas que se estão a tornar populares em ambientes corporativos internacionais, inspirando empresas como a General Mills, a Ford ou a Google, a ensinarem a prática aos seus colaboradores. Estas práticas também começam a ganhar alguma expressão e adeptos em empresas portuguesas, sendo consideradas um elemento-chave da felicidade. Definido em poucas palavras, o mindfulness é um estilo de vida que capacita os praticantes a prestar atenção no momento presente, usando técnicas de meditação, yoga e respiração. Por meio destes exercícios, as pessoas conseguem concentrar-se e ter plena consciência dos seus pensamentos, atividades, sentimentos e de si mesmos. Desta forma, quem pratica mindfulness consegue regular melhor as suas emoções e, por conseguinte, melhorar a sua produtividade e até mesmo a qualidade dos seus relacionamentos. 

Os benefícios das práticas de mindfulness, para os ambientes corporativos, estão bem sustentados empiricamente, sendo que alguns dos principais envolvem uma redução significativa do stress. Por exemplo, de acordo com um artigo publicado pela revista Time (The Mindful Revolution), a prática de meditação diminui os níveis de cortisol, reduzindo a ansiedade e a pressão sanguínea. Desta forma, o mindfulness permite regular melhor as emoções, mesmo em situações de tensão e pressão. Outro dos benefícios tem que ver com uma melhoria nos processos de tomada de decisões nos negócios. Ou seja, um dos grandes benefícios das práticas de mindfulness para a liderança das empresas é o aprimoramento da capacidade de tomada de decisão. Isto ocorre porque a meditação aumenta a massa cinzenta no córtex pré-frontal, o que contribui para o raciocínio rápido e análise holística.

De acordo com o pioneiro na área do mindfulness, Jon Kabat-Zinn, a prática permite prestar atenção de maneira intencional e individualizada no momento presente. Kabat-Zinn foi responsável pela realização do primeiro programa baseado em mindfulness, para redução do stress, em 1979, na Escola de Medicina da Universidade de Massachusetts e, a partir da prática, muitos pacientes demonstraram melhorias significativas nos seus quadros de stress e dor crónica. Além disso, já foi comprovado que tem efeitos duradouros também na redução da ansiedade, sintomas depressivos e problemas físicos, como a hipertensão e problemas cardíacos. Um terceiro benefício, para os trabalhadores, tem que ver com a diminuição comprovada do absentismo, ou seja, menos faltas por motivos de saúde. Em quarto lugar, podemos falar num aprimoramento da liderança.

De acordo com a professora de Psicologia da Universidade de Harvard, Ellen Langer (Ellen Langer on the value of mindfulness in business), quando as pessoas realizam as suas atividades de forma concentrada e conscientes de si, os resultados tornam-se naturalmente superiores. A liderança passa por uma autoanálise, melhorando os relacionamentos interpessoais, quer no ambiente laboral assim como fora deste. Por fim, nas empresas, as práticas de mindfulness estão relacionadas com mais produtividade e qualidade laboral. Na rotina corporativa, por exemplo, é muito comum os trabalhadores começarem a desenvolver as suas atividades sem parar e analisar quais são os objetivos. Ao incluir as práticas de meditação mindfulness no dia a dia da empresa, o profissional consegue concentrar-se mais no que está a fazer, melhorando a produtividade e a qualidade na concretização das tarefas. 

Portanto, adicionar práticas de mindfulness entre os colaboradores e incentivar a atenção plena no ambiente de trabalho é uma das formas pelas quais as empresas podem beneficiar de mais produtividade, concentração e disposição no local de trabalho. 

*texto de Ricardo João Teixeira, para o P3 do jornal Público: Os benefícios do mindfulness nas empresas

Artigos relacionados